A Assustadora História da Medicina

Como um fanático pela história da humanidade (de todos os tempos), me deliciei lendo o livro “A Assustadora História da Medicina” (1993, 371 páginas, PocketOuro da editora Agir), escrito pelo médico britânico Richard Gordon que conta vários fatos sobre os erros e acertos na medicina. Com um senso de humor único, Gordon narra os acontecimentos e as descobertas que ajudaram no desenvolvimento daquilo que conhecemos como medicina, apresenta desbravadores como Hipócrates à precursores como Christiaan Neethling Barnard, o primeiro médico a realizar um transplante cardíaco. É um divertido livro sobre os esforços do ser humano para superar as limitações de sua natureza frágil e vulnerável, cheio de histórias reais hilárias e interessantes informações.

Veja passagem sobre a camisinha:

“A vulcanização da borracha, em 1843, fez milagres para a camisinha, bem como para as bolas de golfe. Na década de 1920 as camisinhas tinham a resistência tranqüilizadora e vigorosa dos pneus do Dairnler. Não formavam volumes vergonhosos nos bolsos, como os cigarros hoje em dia. Eram armazenadas em lugares invisíveis pelos farmacêuticos, o que levava ao ritual de ler os rótulos de fortificantes, comida para crianças e pastilhas para a tosse até a farmácia ficar vazia. Eram distribuídas mais aberta e mais adequadamente à alta sociedade pelos antepassados dos cirurgiões, os barbeiros (“E alguma coisa de uso pessoal, senhor?”), o que explica a moda de cabelos muito curtos para os homens, no começo do século XX.”

Ou a passagem sobre Robert Liston, conhecido por sua rápidez na arte de amputar membros dos pacientes, veja passagem sobre seus feitos:

“O quarto mais famoso caso de Liston:

Remoção de um tumor escrotal de 20 quilos, cujo dono tinha de carregá-lo em um carinho de mão.

O terceiro mais famoso caso de Liston:

Discussão com seu residente. Aquele tumor vermelho e pulsante no pescoço do garoto era um abscesso na pele? Ou um perigoso aneurisma da artéria carótida? “Ora!”, exclamou Liston impacientemente. “Quem já ouviu falar de um aneurisma em um garoto tão jovem?”. Tirando rapidamente um bisturi do bolso de seu casaco, ele o punçou. Nota do residente: “Jorrou sangue arterial, e o garoto foi-se.” O paciente morreu, mas a artéria está viva, no Museu de Patologia do University College Hospital, objeto número 1256.

O segundo mais famoso caso de Liston:

Amputou uma perna em dois minutos e meio, mas em seu entusiasmo foram-se também os testículos do paciente.

O mais famoso caso de Liston:

Amputou uma perna em menos de dois minutos e meio (o paciente morreu mais tarde de gangrena, na enfermaria do hospital, o que geralmente acontecia naqueles tempos pré-listerianos). Amputou, também, os dedos de seu jovem assistente (que morreu mais tarde também de gangrena, na enfermaria do hospital, o que geralmente acontecia naqueles tempos prá-listerianos). Cortou também a cauda do fraque de um ilustre espectador da cirurgia, que, de tão aterrorizado com a possibilidade de o bisturi ter perfurado seus orgãos vitais, caiu morto de susto.

Essa foi a única operação da história com uma taxa de mortalidade de 300%.”

Fica, então, a recomendação deste ótimo livro sobre a história da medicina, leia que ele vai te ajudar a pensar duas vezes antes de ir aos hospitais por qualquer dorzinha de cabeça!!!

3 Respostas to “A Assustadora História da Medicina”

  1. Divertidíssimo. 🙂

  2. Vera Satiro Says:

    adorei este livro!!!!

Deixe uma resposta para Bianca Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: