O Cinema Sexploitation de Juan Bajon

“Se há um cineasta 100% sexploitation no Brasil, Juan Bajon é um dos mais fortes candidatos à ocupar essa vaga”. (frase de Uzi Uschi, diretor de fotografia dos filmes da Canibal Filmes).


Morando no Brasil desde os seis anos de idade (nasceu em 12 de abril de 1948 em Shangai, China), estudou cinema no primeiro curso montado pela Escola São Luis, na av. Paulista e, em seguida, funda no final dos anos 70 sua própria produtora, J.B. Filmes, e estréia na direção com “O Estripador de Mulheres”, um sleaze de baixo orçamento onde temos uma mostra da capacidade criativa de Bajon, inclusive ganhou o prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor roteiro por este filme. Como precisava ganhar dinheiro, associa-se à Brasil Internacional Cinematográfica para produzir uma série de filmes pornôs, verdadeiros sucessos de bilheteria. Com a liberação dos filmes pornôs e o eventual fim da censura, cria a Galápagos Produções Cinematográficas, produtora de inúmeros pornôs dirigidos pelo crítico de cinema Alfredo Sternheim ou pelo próprio Juan Bajon e que revelaram para os tarados pornófilos as formas da espetacular Sandra Midori. Nos anos 80 Bajon realizou inúmeros filmes de zoofilia, são tantos títulos que em 2009 resolvi homenageá-lo criando uma personagem no meu filme “Ninguém deve Morrer” que se chama Coronel Bajon e faz filmes de zoofilia em Super-8 na sua fazenda cinematográfica. Coronel Bajon foi interpretado pelo lendário ator Jorge Timm.

Em sua filmografia há mais de 50 títulos, segue então a filmografia selecionada:

1978- O Estripador de Mulheres, 1979- Colegiais e Lições de Sexo, 1981- A Noite dos Depravados, 1982- Fantasias Sexuais, 1983- Bacanal de Colegiais, 1984- Penetrações Profundas, 1985- Sexo a Cavalo, 1986- Meu Marido, Meu Cavalo + Seduzida por um Cavalo + A Colegial Sacana + A Garota do Cavalo + Duas Mulheres e um Pônei, 1987- Júlia e os Pôneis + Viciados em Cavalos + Ninfeta Nota 10, 1988- Tudo por um Cavalo + Um Homem, uma Mulher e um Cavalo, 1989- Ninfas Pornôs + A Ninfeta Sapeca + Eu, Márcia F., 23 Anos, Louca e Desvairada.

6 Respostas to “O Cinema Sexploitation de Juan Bajon”

  1. Caralho! Assisti “Tudo Por um Cavalo” escondido, cagando de medo, o VHS alugado pela minha irmã… sequestrei, assisti na maior tensão e devolvi sem ser pego. Era uma aventura ver putaria no início dos anos 90.

  2. Um dos primeiros filmes de sacanagem que eu vi foi com cavalo também, que estava escondido no guarda-roupa dos maus pais. o.O

  3. Eu nunca assisti a um filme desse cara. Pelo jeito deve ser muito bom! Valeu pela dica. Está aí mais um cineasta nacional que merece mais reconhecimento

  4. […] cinema exploitation sueco, infelizmente, continua inédito e pouco conhecido no […]

  5. Você estuda alguma espaço de marketing ou propaganda?
    Pergunto isso porque você ridige muito bem, parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: