Die Reise Ins Glück

Die Reise Ins Glück (A Journey Into Bliss, 2004, 73 min.) de Wenzel Storch. Com: Jürgen Höhne, Jasmin Harnau, Holger Müller, Frank Bauer, Jörg Buttgereit e Jeanette Eisebitt.

Animais falantes, as cores berrantes do LSD, histeria, uma tribo de jazz degenerada, um navio caracol, a nobreza européia vegetando e Jörg Buttgereit fazem o caldo para o capítulo final de sua trilogia iniciada com “Der Glanz Dieser Tage” (1989) e “Sommer der Liebe” (1992). Aqui no Brasil filmes estranhos geralmente não caem no gosto do espectador comum (algo que não consigo entender, já que os filmes de super-heróis, verdadeiros contos de fadas para peludos, fazem tanto sucesso), mas como estou longe de ser um espectador comum, simplesmente adorei essa pequena pérola do diretor Wenzel Storch que eu não conhecia.

Para produzir “Die Reise ins Glück”, Storch e seus associados tentaram, por cerca de dois anos, vários financiamentos financeiros insuficientes, tendo então que organizar uma arrecadação de fundos entre amigos e simpatizantes do projeto para completar a quantia necessária para a realização do filme. Fácil entender, ao ver o filme, porque ninguém queria colocar dinheiro: Lá pelas tantas, dois ministros da propaganda (numa clara alusão aos nazistas), para chamar atenção de algumas crianças, urinam nelas! Genial!!!

Jörg Buttgereit, além de ser o consultor dos efeitos especiais de “Die Reise ins Glück”, aparece ainda no papel de um nobre (cuja cabeça explode ao comer uma codorna). Para quem não era caçador de filmes obscuros em VHS nos anos de 1990, saiba que Buttgereit foi o autor de alguns dos mais virulentos filmes undergrounds alemães dos anos de 1980 e 1990, que nós, caçadores de VHS’s, corríamos feitos loucos atrás. É do Buttgereit o quarteto de clássicos “Nekromantik” (1987) e sua continuação de 1991, “Der Todesking” (1990) e “Schramm” (1994), verdadeiras obras-primas do cinema independente. Após lançar “Schramm”, Buttgereit passou a trabalhar como técnico de efeitos especiais (os efeitos de “Kondom des Gravens”, 1996, do diretor Martin Walz, lançado nos USA pela Troma, são dele, só prá citar um exemplo) e diretor de documentários da televisão alemã, seu único longa desde então é “Captain Berlin Versus Hitler” (2009) que ainda não tive o prazer de assistir.

“Die Reise ins Glück” é uma amável mistura de “Desperate Living” (John Waters) com o cinema infantil de todas as épocas.

O filme foi disponibilizado inteiro no youtube:

2 Respostas to “Die Reise Ins Glück”

  1. Eu ainda não conhecia esse filme. Pelo jeito deve ser fantástico mesmo.

  2. […] perdeu tudo que tinha, ficou quase 10 anos sem dirigir nenhum filme, sobrevivendo como técnico de efeitos especiais. No ano de 2002 voltou como diretor de documentários com trabalhos como “Die […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: