La Planète Sauvage

“La Planète Sauvage” (Fantastic Planet/Planeta Fantástico, 1973, 71 min.) de René Laloux. Roteiro de Roland Topor baseado na obra de Stefan Wul.

Num futuro indeterminado os homens (conhecidos como “oms”) são considerados animais de estimação (ou uma praga como qualquer colônia de insetos) para os Draags, uma raça alienígena gigante com pele azul e grandes olhos redondos, espiritualmente superiores aos seres humanos (mas claro que uma espiritualidade superior/perfeita não impede a matança daqueles considerados inferiores). A história se passa no planeta dos Draags e uma semana de vida dos alienígenas correspondem à um ano de vida dos humanos. Quando um dos “oms” consegue fugir de sua vida de animal de estimação levando uma espécie de fone auricular com todo conhecimento da vida dos Draags, uma rebelião dos homens pode começar a tomar forma.

O que mais chama atenção no filme é seu visual único de imaginação surrealista, uma concepção do escritor Roland Topor bastante inspirado. Topor é o terceiro homem do, hoje, famoso “Movimento Pânico” juntamente com Jodorowsky e Fernando Arrabal (para quem criou os desenhos do início do genial “Viva la Muerte”), em 1965 já havia criado, junto de René Laloux”, o premiado curta “Les Escargots” (assista o curta abaixo). A título de curiosidade: Roland Topor faz um pequeno papel no clássico “Sweet Movie” (1974) de Dusan Makavejev e, depois, desempenhou o papel de Renfield no “Nosferatu” (1979) de Werner Herzog.

“La Planète Sauvage” foi animado no estúdio de Trnka Jiri e foi distribuido nos USA por Roger Corman, tendo ganhado o prêmio do Jurí no Festival de Cannes de 1973. René Laloux, o diretor, também colaborou com Moebius em 1981 para a criação do clássico “Les Maítres du Temps”. Stefan Wul é o pseudônimo usado por Pierre Pairault, um cirurgião-dentista que escreveu inúmeros livros de ficção-científica. “Oms em Serie”, o livro que serviu de base para a criação de “Planète Sauvage”, foi publicado pela primeira vez em 1957.

Em 2010 a distribuidora inglesa Eureka bancou uma restauração do filme e lançou em blu-ray, com material extra que incluí vários curtas de Laloux e um documentário chamado “Laloux Sauvage”. Enquanto isso, aqui no Brasil, foi lançado em VHS pela extinta distribuidora Canal 3.

2 Respostas to “La Planète Sauvage”

  1. Por incrivel que pareça, foi lançado em dvd por aqui, pela bucaneira Magnus Opus, com o curta Les Escargots como extra.

  2. Thomas Costello Says:

    Maravilhosa Animação!!! com certeza está entre minhas favoritas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: