Como a Geração Sexo-Drogas & Rock’n’roll Salvou Hollywood

“Como a Geração Sexo-Drogas e Rock’n’Roll Salvou Hollywood” (“Easy Riders, Raging Bulls”, 1998, 500 páginas), escrito por Peter Biskind. Com base em milhares de entrevistas que o autor realizou com trabalhadores da indústria cinematográfica americana, este livro é um verdadeiro achado para cinéfilos do mundo inteiro (li o livro quando foi lançado no Brasil em 2009 e semana passada reli novamente). Biskind conta histórias divertidíssimas sobre os bastidores de grandes produções dos anos de 1968, mais ou menos, até começo dos anos de 1980, quando o cinema americano se tornou essa máquina comandada por executivos que só se importam com lucros.

Warren Beatty, Dennis Hopper, Bert Schneider, Jack Nicholson, Bob Rafelson, Robert Altman, Francis Ford Coppola, George Lucas, Peter Bogdanovich, Bob Evans, Robert Towne, Roman Polanski, Charles Manson, Hal Ashby, William Friedkin, Martin Scorsese, Brian de Palma, Steven Spielberg, Paul Schrader, Terry Malick, Amy Irving, Robert De Niro e Pauline Kael são algumas das personagens do livro. Como é bom constatar que diretores que eu nunca gostei, como George Lucas e Spielberg (a quem eu culpo por terem infantilizado o cinema), realmente são uns nerds idiotas loucos por dinheiro e poder. Com este livro ficamos sabendo que vários clássicos do cinema americano foram meros acidentes, conhecemos histórias com a megalômania de diretores como Hopper, Coppola ou Friedkin que simplesmente enlouqueceram sem rumo com o poder que tiveram nas mãos e constatamos, com prazer redobrado, o quanto um visionário como Roger Corman (anti) influênciou toda essa geração da “Nova Hollywood”. Todos citam Corman como um gênio centrado e sabendo sempre o que estava fazendo.

Este livro já foi lançado tem 2 anos, queria ter feito a indicação dele aqui antes mas fui esquecendo. Mas é fácil de encontra-lo, vivo esbarrando neste livro em qualquer livraria de aeroporto ou rodoviária. E vale qualquer preço que estiverem pedindo por ele, é imperdível!

Essa história (vídeo abaixo) do Spielberg choramingando porque não foi indicado ao Oscar de melhor diretor pelo “Jaws” (“Tubarão”, 1975) é contada, entre milhares de outras, no livro:

Existe também um documentário chamado “Easy Riders, Raging Bulls” (dirigido por Kenneth Bowser, escrito por Peter Biskind) que conta tudo isso com imagens visuais, deixo no post a abertura deste documentário:

3 Respostas to “Como a Geração Sexo-Drogas & Rock’n’roll Salvou Hollywood”

  1. Josemar de Oliveira Soares Says:

    Ganhei esse livro de presente há pouco tempo. Todavia ainda não comecei a lê-lo. Mas agora, depois de ler esse texto tecendo loas à obra, pretendo começar a ler em breve.

  2. Alan Cassol Says:

    Boa…
    Assim que encontrar vou comprar e ler.

  3. Concordo… Se hoje existe “Transformer” e “Piratas do Caribe” é por culpa desses cânones.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: