Bette é daquelas mulheres que deveriam existir sem parar.

Os olhos de Bette Davis… Olhos de louca, malvada, temperamental. Olhos  de mistérios, que mostram tudo e nada.  Nunca saberemos ao certo o que  realmente se passava por detrás deles, mas conhecemos a mulher ousada, independente e forte que os carregava.

Há 104 anos nascia umas das maiores musas do cinema, veio numa família de pais divorciados e dizia que substituiu o seu pai e todo mundo ao mesmo tempo, quis dançar, ter glamour até descobrir o cinema e começar a persegui-lo desde jovem,  sempre foi distinta, com personalidade forte, voz imponente, e assim eram também muitas personagens que ela interpretava. Foi mais de 100 mulheres, foi vaidosa, insubmissa, malvada, dona de casa, mulher maldita, decadente e tantas outras quais quis. Foi todas nós e um pouco mais.  Foi imitada por muitas. Com o cigarro nos dedos e olhar mortífero, jamais abandonou a característica intensa e o estilo sincero em tudo o que fazia. Bette é daquelas mulheres que deveriam existir sem parar.  Era perfeccionista e não abria mão do que acreditava, ganhou fama de agressiva, egocêntrica, entrou em diversas brigas com diretores e colegas de elenco, sentindo-se prejudicada abandonava estúdios mesmo com contratos ainda em vigor, enfrentou batalhas judiciais, foi a primeira mulher presidente da Academia de Arte e Ciências Cinematográfica e renunciou ao cargo por entrar sempre em conflito com os membros do comitê que desaprovavam e podavam  suas ideias consideradas radicais. Foi mulher do seu trabalho, de si mesma e suas vontades, teve alguns homens, casou algumas vezes, mas certamente não foi de nenhum deles. Era uma feminista, escolheu os caminhos que quis e, num universo predominantemente masculino e em que todas as chances estavam sempre apontadas para as mulheres belas e mansas, impôs seu temperamento e genialidade e mostrou que se pode ser mais do que isso, pode-se ser força, autenticidade e vontade.

Bette Davis trabalhou até os 81 anos, mesma idade da sua morte, dizia que ia continuar trabalhando enquanto tivesse suas  pernas e sua maleta de maquiagem. Não há problema nenhum em uma pessoa ser orgulhosa de si mesma, de seu trabalho; e ela era, conhecia seu valor, não  hesitava em demonstrar isso e não aceitava ser pisada por ninguém. É impossível ver alguns de seus filmes e não se apaixonar, não reconhecer sua genialidade, não se inspirar e admirar seu temperamento forte e decidido. Embora muitos de seus últimos trabalhos não mostrem o seu brilhantismo inicial, muitos são indispensáveis pra que se conheça a força dessa mulher de verdade, que interpretava mulheres que não eram comuns naquela época, que, na verdade, nem são comuns hoje em dia, que já era feminista antes de existir o feminismo, que tinha defeitos que na verdade eram qualidades enormes e que continua viva em nossas memórias através de  filmes fantásticos que merecem ser descobertos, redescobertos e reconhecidos sempre.

Homenagem do Canibuk a musa Bette Davis que hoje faria 104 anos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: