A Putinha Retalhada e o Vagabundo com uma Espingarda

“Hobo With a Shotgun” (“O Vingador”, 2011, 85 min.) de Jason Eisener. Com: Rutger Hauer, Molly Dunsworth e Brian Downey.

Tudo que “Machete” e “Death Proof” gostariam de ter sido e não conseguiram “Hobo With a Shotgun” consegue ser, uma verdadeira homenagem alucinada, debochada e violenta ao delicioso mundo dos psychotronic movies dos anos 70 com um pé na demência da Troma. O pecado de filmes como os citados “Machete” e “Death Proof” foi tentar homenagear o cinema vagabundo usando inúmeros astros fálidos de Hollywood (sem contar os roteiros de ambos os filmes que são ruins demais) para atrair este público sem bagagem cinematográfica de salas de shopping, aguentar xaropes como Robert De Niro ou dondocas como Jessica Alba no lugar de algum desconhecido talentoso e insano é dose. Rodrigues e Tarantino até podem parecer violentos quando comparados ao cinemão de Hollywood, mas quando pisam no terreno do selvagem cinema sleaze classe Z (ou psychotronic ou grindhouse, como queiram), não conseguem acrescentar nada à este subgênero tão querido e cultuado.

Sem enrolações ou maiores pretensões, um vagabundo (Rutger Hauer em momento inspiradíssimo) chega numa cidade dominada por um chefão (Brian Downey) e seus filhos sádicos e já presencia a execução pública do irmão do chefão em uma inventiva cena envolvendo o correto uso das tampas de bueiros e uma puta tomando banho num chafariz de sangue. A população toda da cidade parece não prestar (lembra a população do clássico “Straight to Hell/À Caminho do Inferno” (1987) de Alex Cox), a força policial inteira é corrupta e a população se esconde em sua individualidade egoísta. O vagabundo sonha em comprar um cortador de grama para começar seu próprio pequeno negócio, mas o sonho é interrompido no momento em que ele salva uma puta que seria estuprada por um dos filhos psicopatas do chefão. Daí em diante o ritmo do filme, que já era alucinado, fica mais demente ainda com o vagabundo comprando uma espingarda (a maneira como ele consegue o dinheiro é um momento lindo do cinema vagabundo mundial) e fazendo justiça com as próprias mãos, virando uma espécie de Charles Bronson de “Death Wish” às avessas, mais selvagem e acertadamente menos reflexivo. Os dois filhos do chefão, em um ato de selvageria extrema, se armam de um lança-chamas e dois rádios modelo anos 80 e fritam um ônibus escolar cheio de criancinhas. Com sua cabeça à prêmio o vagabundo precisa encontrar um jeito de se mandar da violenta cidade ou enfrentar todos num banho de sangue envolvendo dois guerreiros vestindo armaduras, a puta e seu cortador de grama, castrações, pescoços serrados, um hospital cheio de recém nascidos, divertidas carnificinas e um desfecho comovente.

“Hobo With a Shotgun” era, inicialmente, um trailer falso dirigido por Jason Eisener para o concurso internacional para promover o lançamento mundial do double feature “Grindhouse” (que tinha “Death Proof” de Tarantino e “Planet Terror” de Rodrigues). Tendo vencido o concurso, o trailer falso de “Hobo” começou a ser exibido junto de “Grindhouse” e foi a deixa para ser transformado num longa. O diretor Jason Eisener ainda é jovem demais para qualquer previsão de carreira, o mais certo é que acabe cooptado pelo cinemão americano e acabe fazendo filminhos mornôs para algum estúdio (torço para que isso não aconteça porque Jason Eisener foi um dos únicos jovens diretores que realmente me deixou empolgado com as possibilidades de um cinema mais virulento e ainda assim cheio de bom humor doente). Antes de “Hobo” ele já havia dirigido o horror “The Teeth Beneath” (2005) em parceria com Zach Tovey e os curtas “The Pink Velvet Halloween Burlesque Show!” (2006) e o genial “Treevenge” (2008) sobre árvores de natal se vingando dos humanos que merece virar um longa tão alucinado e incorreto quanto “Hobo With a Shotgun”. Seu último trabalho foi dirigindo um segmento no longa ainda não lançado “The ABCs of Death” que reune uns 25 diretores considerados a “nata” da nova geração do horror mundial e fico na esperança que seja insano e inventivo, que fuja do lugar comum que o atual cinema de horror se tornou.

O diretor de fotografia de “Hobo” é Karim Hussain que estreiou na direção de longas com o pretencioso “Subconscious Cruelty” (2000), um filme que tenta chocar o público com suas pretensas cenas fortes mas que só aborrece (apesar que gosto muito da cena envolvendo Jesus Cristo). Em seguida realizou “Ascension” (2002), uma fantasia dramática de horror; “La Belle Bête” (2006), um drama sobre os conflitos entre beleza e feiura (neste mesmo ano ele produziu o suspense “The Abandoned” de Nacho Cerdà) e “The Theatre Bizarre” (2011), longa em episódios de diretores como Tom Savini, Richard Stanley, Douglas Buck, Karim e outros. Karim Hussain é um canadense nascido em 1974 e ainda deve produzir muito filme interessante, é bom não perdê-lo de vista.

“Hobo With a Shotgun” foi lançado em DVD aqui no Brasil pela distribuidora Califórnia com o manjado título de “O Vingador”. Eu prefiro chama-lo de “A Putinha Retalhada e o Vagabundo com uma Espingarda” que acredito ser mais fiel ao espírito demente do filme e ao seu status de cult movie instantâneo. Um dos grandes clássicos do cinema atual.

por Petter Baiestorf.

5 Respostas to “A Putinha Retalhada e o Vagabundo com uma Espingarda”

  1. Matéria muito boa e um filme que já é clássico…

  2. Nunca me decepcionei com as dicas do Petter Baiestorf, e muito menos ainda com as matérias do Canibuk.

  3. “A Putinha Retalhada e o Vagabundo com uma Espingarda” KKKKK
    Com esse nom com certeza o filme seria sucesso de locação! Valeu pela dica Petter!

  4. […] Nicolas Cage interpretou o perigo amarelo num dos trailers – para longas fictícios – em Grindhouse (2007), a reunião de dois longas de Robert Rodriguez (Planeta terror) e Quentin Tarantino (À […]

  5. […] grindhouses, termo popularizado e banalizado após Tarantino/Rodrigues terem feito seu “Grindhouse“). Começou fazendo filmes em super 8 quando adolescente e seu primeiro curta em 16mm, […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: