Aliens Fora da Lei

Alien Outlaw (1985, 90 min.) de Phil Smoot. Com: Kari Anderson, Lash La Rue e Sunset Carson.

alien-outlawSeria possível o blockbuster “Predator/Predador” (1987), de John McTiernan, ter se inspirado em um obscuro filme lançado dois anos antes? Essa é uma daquelas perguntas que talvez nunca tenhamos a resposta (e pouco importa a resposta), mas o fato é que “Alien Outlaw”, filmado em 16mm com orçamento digno de produções de fundo de quintal, trazia para as telas inúmeros elementos depois vistos em “Predador”. Vejamos: Um trio de aliens (com visual parecido, mas não tão rico quanto os aliens de seu primo milionário) caem com sua espaçonave nos arredores de uma cidadezinha e resolvem estuprar e matar todos os humanos que conseguirem. Casualmente Jesse Jamison (Kari Anderson), uma pistoleira que ganha a vida realizando shows de tiros, está tentando a sorte com seu número nesta mesma região e acaba atrapalhando os planos de diversão dos alienígenas (ao ver o filme fiquei o tempo todo me perguntando porque os aliens não tinham suas próprias armas, já que eles ficam o tempo todo tentando achar armas terrestres para sua matança desenfreada).

alien-de-alien-outlaw

Com uma trilha sonora deliciosa, que vai de balada country açucarada até som pop tipicamente dançante dos anos de 1980, figurinos bombásticos  (a roupinha sexy que a pistoleira usa boa parte do filme é um tesão) e efeitos especiais horríveis (as cenas da espaçonave, em especial, são espetaculares de tão toscas) fazem desta produção uma ótima pedida para uma sessão dupla com “The Galaxy Invader” (1985) de Don Dohler.

karin-andersonKari Anderson, que interpreta a heroína do filme, é maquiadora facial (responsável por embelezar atores e atrizes em produções como “Tasmanian Devils/Demônios da Tasmânia” (2013) de Zach Lipovsky e “Extraterrestrial” (2014) de Colin Minihan) e em “Alien Outlaw” vemos sua única tentativa de se tornar atriz, uma pena, já que esbanja carisma na tela e possuí um rosto ímpar (ela lembra Mary Woronov jovem). O filme ainda resgata os atores Lash La Rue e Sunset Carson que, na década de 1940, estiveram presentes em inúmeros westerns. La Rue se destacava por sua habilidade com o chicote, tanto que na década de 1980 foi o responsável por ensinar vários truques ao ator Harrison Ford quando este estava criando sua personagem Indiana Jones.  La Rue estrelou westerns como “Wild West” (1946) de Robert Emmett Tansey e “Fighting Vigilantes” (1947) de Ray Taylor, e também foi músico regular nas Jam sessions no Dew Drop Inn em New Orleans.Sunset Carson foi peão de rodeios no início de sua carreira, até que chamou a atenção de um produtor executivo (Lou Grey) da Republic Pictures e passou a trabalhar como ator em westerns como “Bells of Rosarita” (1945), de Frank McDonald e estrelado pelo lendário Roy Rogers e seu cavalo Trigger, e “The El Paso Kid” (1946) de Thomas Carr.

alien-outlaw1Phil Smoot só dirigiu ainda outro filme, “The Dark Power” (1985), outra produção bem modesta em 16mm que mostra espíritos indígenas azucrinando os inquilinos de uma casa, também com Lash La Rue no elenco e que foi lançado em VHS no Brasil pela Poletel com o título “Toltecs – A Maldição”. Smoot foi produtor de inúmeros filmes de baixo orçamento, à destacar “The Boneyard/A Maldição do Necrotério” (1991) de James Cummins e “Tara/Ratos Assassinos” (2003) de Leslie Small, estrelado por Ice-T. Phil Smoot iniciou sua carreira cinematográfica no departamento elétrico do filme “Hot Summer in Barefoot County” (1974) de Will Zens e que nos USA foi distribuído pela Troma.

“Alien Outlaw” é um filme ruim involuntário, daqueles que ficam na cabeça muito tempo após a sessão. Você percebe que todos os envolvidos no projeto deram o melhor de si, mas que por uma estranha combinação de forças do destino o resultado foi apenas um delicioso filme vagabundo mal feito imperdível. Sorte nossa!

Veja “Alien Outlaw” resumido em um minuto aqui:

Uma resposta to “Aliens Fora da Lei”

  1. Anselmo Luiz Says:

    Cinema Underground puro trash-total é isso que nos queremos ver em Blu-ray no Brasil.. mesmo por que o DVD já morreu e logo vão matar o Blu-ray por aqui , filme assim obscuros e que nunca ouvimos falar .. eu mesmo não conheci esse e já fiquei fascinado por assisti-lo,bom texto ,um abraço de Anselmo Luiz.
    P.S- espero que apareçam mais textos com filmes assim obscuros e underground.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: