O Blindado Mortal do Século XXI

Warlords of the Twenty-First Century (“Blindado Mortal”, 1982, 91 min.) de Harley Cokliss. Com: Michael Beck, Annie McEnroe e James Wainwright.

warlordsNo início da década de 1980 o cinema ainda estava embasbacado com o sucesso mundial de “Mad Max” (1979), de George Miller, um pequeno filme australiano que fez boa bilheteria ao redor do mundo. Por isso pesadelos futuristas estavam se tornando temas recorrentes entre os produtores de exploitations movies, afinal, eram produções baratas com lucro certo. Sendo assim, “Warlords of the Twenty-First Century” surgiu para contar a história de um futuro não distante onde a humanidade se consumiu em guerras pelo petróleo (que alcançou o absurdo preço de 59 dólares o litro). É neste cenário que o comandante Straker (James Wainwright) mantém um grupo de mercenários que roda num caminhão de guerra de comunidade em comunidade explorando a todos. Straker tem uma quedinha amorosa pela feiosa Corlie (Annie McEnroe) que, após confrontar o comandante, consegue fugir e encontra o solitário herói do filme, Hunter (Michael Beck, que pode ser visto em clássicos como “The Warriors/Os Selvagens da Noite” (1979, de Walter Hill, e “Xanadu” (1980), de Robert Greenwald), um motoqueiro boa pinta que vive nas montanhas e acaba ajudando a fugitiva.

battle-truck

“Battletruck”, como “Warlords” também é conhecido (na Itália ele atende pelo título de “Destructors”), é um filme bastante escuro e parado, com uma narrativa que vai em marcha lenta até os 70 minutos quando, finalmente, a produção engrena e fica cheia de ação e aventura, com nosso solitário herói pilotando um fusquinha turbinado com o qual invade o acampamento dos vilões aprontando altas confusões. É uma pena que este filme não tenha sido encarado como um western futurista já que todos os elementos do gênero estão inclusos na fraca história (há, inclusive, carros sendo puxados por cavalos como se fossem carroças improvisadas).

Assista o trailer de “Warlords of the Twenty-First Century” aqui:

Mesmo assim “Warlords” consegue ser um filme que prende a atenção e lança um olhar mais melancólico sobre o futuro da vida em sociedade no planeta Terra (diferente da visão cínica/sarcástica de clássicos como “A Boy and his Dog/O Menino e Seu Cachorro” (1975), de LQ Jones, ou o já citado “Mad Max”), conseguindo apontar outra direção ao tema “fim do mundo civilizado”. “Warlords” é uma produção americana rodada inteiramente na Nova Zelândia , com técnicos locais, por conta de uma greve de roteiristas que acontecia nos USA. A produção foi filmada ao mesmo tempo em que “Mad Max 2” (cujas filmagens estavam acontecendo na Austrália) e lançado duas semanas antes pela distribuidora New World Pictures, empresa comandada pelo visionário Roger Corman e seu irmão Gene.

le-camion-de-la-mortO diretor Harley Cokliss (que mudou seu sobrenome para Cokeliss por motivos óbvios) foi diretor de segunda unidade em “Star Wars: The Empire Strikes Back/O Império Contra Ataca” (1980), de Irvin Kershner. Em entrevista para o blog Cinema Raiders, Cokliss afirmou: “Tínhamos apenas sete semanas para filmar Warlords, houve algumas seqüências muito complicadas de serem filmadas, o que me fez desejar dez semanas e mais dinheiro para filmar tudo. Na verdade, tivemos que cortar cenas inteiras para terminar as filmagens no prazo!”. Ainda nesta entrevista, Cokliss afirmou ainda que não acha que seu filme compartilhe do pessimismo de “Mad Max”. Ainda, à título de curiosidade, o produtor de “Warlords” (Lloyd Phillips) foi produtor executivo de “Inglorious Basterds/Bastardos Inglórios” (2009) de Quentin Tarantino.

warlords_truckAqui no Brasil “Warlords of the Twenty-First Century” foi lançado em VHS pela distribuidora F.J. Lucas sob o título de “Blindado Mortal” e continua inédito em DVD/Blu-Ray. Nos USA foi lançado na coleção Roger Corman’s Cult Classics em um disco Double feature com “Deathsport” (1978) de Allan Arkush e Nicholas Niciphor. Não sou o maior fã de “Warlords”, mas é um bom filme que merece ser redescoberto (e reavaliado sem estar à sombra de “Mad Max”), nem que seja para se delirar com seus vinte minutos finais.

Escrito por Petter Baiestorf para seu livro “Arrepios Divertidos”.

Assista “Warlords of the Twenty-First Century” aqui:

Uma resposta to “O Blindado Mortal do Século XXI”

  1. Annie McEnroe teve seu melhor momento no final dos anos 80 quando fez Wall Street: Poder e Cobiça e Os Fantasmas se Divertem, aí misteriosamente abandonou a carreira e as vezes aparece fazendo figuração nos filmes do Oliver Stone. Mesmo assim o personagem dela mais conhecido é em Grito de Horror 2, filme que fez ao lado da Sybil Danning (minha amiga de face) e do mito Christopher Lee.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: