Arquivo para bebidas

Literato Cantabile: Pílulas

Posted in Literatura with tags , , , , , , , , , , , , , , , on outubro 10, 2012 by canibuk

Pílulas do tipo deixa-o-pau-rolar.

na mesma base: deixa.

.

Primeiro passo é tomar conta do espaço.

Tem espaço a bessa e só

você sabe o que pode fazer do seu.

Antes ocupe. Depois se vire.

.

Não se esqueça de que você está

cercado, olhe em volta e dê um rolê.

Cuidado com as imitações.

.

Imagine o verão em chamas e fique

sabendo que é por isso mesmo.

A hora do crime precede a hora da

vingança, e o espetáculo continua.

cada um na sua, silêncio.

.

Acredite na realidade e procure

as brechas que ela sempre deixa.

Leia o jornal, não tenha medo de

mim, fique sabendo: drenagem, dragas

e tratores pelo pântano. Acredite.

.

Poesia. Acredite na poesia e viva.

E viva ela. Morra por ela se você

se liga, mas por favor, não traia.

O poeta que trai sua poesia é um

infeliz completo e morto.

Resista, criatura.

.

Sínteses. Painéis. Afrescos. Repor-

tagens. Sínteses. Poesia. Posições.

Planos gerais. “O Close-up é uma

questão de amor”. Amor.

.

Eu, pessoalmente, acredito em

Vampiros. O beijo frio, os dentes

quentes, um gosto de mel.

Poesia de Torquato Neto.

Torquato Pereira de Araújo Neto nasceu em Teresina/PI em 1944. Na década de 1960 mudou-se para o Rio de Janeiro/RJ dedicando-se ao curso de jornalismo. Em 1971 estrelou “Nosferatu no Brasil” de Ivan Cardoso, fazendo o papel de um hilário vampiro que andava de dia pelas praias cariocas. Se suicidou no ano seguinte deixando o bilhete que dizia: “Tenho saudade, como os cariocas, do dia em que sentia e achava que era dia de cego. De modo que fico sossegado por aqui mesmo, enquanto durar. Pra mim, chega! Não sacudam demais o Thiago, que ele pode acordar”.

Poesias de Coffin Souza

Posted in Literatura with tags , , , , , , on maio 12, 2012 by canibuk

À TARDINHA

Entrego minhas forças em tuas ancas

dedicas tua dor a meu desejo

deposito minhas lágrimas em tua boca

soluças e cavalgas em meu beijo.

Entre mortos e feridos

gemidos e sussuros com suor

desfalecemos esgotados

prontos para ressuscitar excitados.

A próxima vai ser ainda melhor…

.

TÂNTRICO

Tomo goles

Comes gomos

Gostos…

Somos todos

Tolos

Tontos.

Tuas costas

Nuas…

Suo gotas

Tantas…

Como gostas!

Como, gosto!

Tenta-mes

Tento.

Tanto que

sedento

Tomo gotas

Tuas…

.

SINGELO ACIDENTE

Ofegantes, sufocados,

Atropelados

O meu e o teu calor

Embalados

Doces balas de suor

Esgotados

Sujo, surrados

Em súmula

Somos apenas peixes

Apaixonados…

.

O CÉTICO SENTIDO

Eu vejo pessoas mortas

em câmaras funerárias, em páginas policiais

em funerais onerosos

ou sentadas apáticas nas portas.

Eu vejo pálidos seres espectrais

desmotivados, operosos, escravizados

saíndo de fábricas, lojas e bares

robotizados

nesta cidade soturna

cemitério de fantasmas vivos

lobotomizados…

.

QUE COISA, HEIN?

Cada coisa que eu vi,

cada coisa que eu ouvi,

Cada coisa que eu li.

Cada coisa que imaginei,

Cada coisa que falei,

Cada coisa que nem sonhei.

Coisa grande, coisa feia, coisa nossa,

Coisa alheia.

Coisa estranha, coisa fina, coisa caída,

Coisa com margarina.

Mesma coisa, outra coisa, coisa alguma,

Coisa nenhuma.

Coisa horrível, coisa tola, coisa linda.

Coisa, que nem é coisa… Ainda.

poemas escritos por Coffin Souza (2004, 2005).

Para ler mais da obra de Coffin Souza, clique em:

O Evangelista de Sodoma,

Orações do Canibuk,

Cultura: Vide Bula,

& também conheça o blog She Demons.

Souza, o poeta.

Piss Mouth.

Posted in Arte Erótica, Bebidas, Nossa Arte with tags , , , , , , , on fevereiro 16, 2011 by canibuk

O gosto dourado escorrendo pela minha boca sedenta e louca enquanto pingos salgados caíam sobre meu rosto

E eu, de joelhos no chão daquele banheiro imundo, te implorava por mais

E bebia e sentia tua deliciosa forma líquida, matando minha sede que outra bebida não matara

Sede dourada, me banhando, me lambendo, me gozando.

E no final, insaciável, vou sempre te pedir mais uma dose, mais um gole, mais um porre.

(Leyla Buk).

Estamos de Volta, Porra!!!

Posted in Buk & Baiestorf with tags , , , , , , , , , on janeiro 17, 2011 by canibuk

Como foi a virada de ano de vocês?
A gente só se deu conta da passagem de ano no dia primeiro, pelas seis da tarde, antes disso estávamos imersos demais um no outro pra ter noção do que era o mundo lá fora por aquelas horas,  ahahahahaha.
No dia seguinte vieram aquelas saídas em busca de um bar com o Erivaldo, e andar pra caralho com o autista perdido pela cidade, e achar um boteco meia-boca e ficar por ali mesmo, e beber algumas, querer mais e decidir que é melhor voltar pra casa e ficar bebendo no sofá ouvindo som ou vendo filme. O que veio depois é tudo uma mistura de caos e sossego, se é que isso é possível. Mas com a gente sempre é! Fica pra gente.

Claro que bebemos pra caralho nestas duas semanas, mas não foi só isso. Fizemos muita coisa e tudo foi importante demais. Cada dia decidíamos juntos o que comer, o que comprar, o que preparar, ir até o mercado ou depósito de bebidas, voltar e começar a cozinhar depois de abrir o vinho ou preparar uma cuba, ou martini, ou cerveja, ou gin, ou tudo ao mesmo tempo. Era uma empolgação tão grande que cada comida que fazíamos parecia que dela dependia nossa vida, mas não daquele jeito pesado e chato, era sempre leve e divertido, e, porra, mandamos bem em nossos experimentos, cuidados e tentativas. Sempre com vontade e, claro, muita pimenta! Adoramos cozinhar e era prazeiroso demais fazer isso juntos sempre, dividindo tudo e escolhendo com cuidado cada coisinha.
Embora fossem férias, ainda rolou uma tentativa de rodar um curtinha, a pedidos do Erivaldo, que acabou não dando certo… porque choveu no domingo, é isso??? ahahahaha, enfim, curta foi adiado por tempo indeterminado.

Foram férias lindas. Duas semanas onde tudo o que fizemos foi dormir e acordar juntos, beber e cozinhar juntos, ver filmes juntos, enlouquecer, sossegar, escolher, descançar, suar, se amar… juntos até o último momento. Momentos especiais, intensos, lindos – mesmo aqueles que parecem apenas flashes indefinidos e confusos… e isso o Bukowski entenderia hahaha.

Tenham um bom ano, galera!!!
Petter e Leyla estão de volta com novos posts no Canibuk a partir de hoje (ou amanhã), enfim…  ESTAMOS DE VOLTA, PORRA!!!!


Cerveja, Cerveja & Cervejas

Posted in Bebidas with tags , on setembro 29, 2010 by canibuk

Começando o calorão do verão aqui e já percebo que as cervejas começaram a terminar mais rápido na minha geladeira. Nestes últimos dias eu estava escrevendo o roteiro do “O Doce Avanço da Faca” e meu estoque de cerveja foi a zero antes mesmo de terminar a versão final do roteiro. Essa última semana, aliás, foi de trabalhos intensos nos preparativos da produção do novo filme e cervejas estão descendo mais que água. Quando fomos montar um dos cenários do filme ficamos bebericando cerveja o tempo todo.

Não há nada melhor do que um pileque de cerveja. Cerveja que não combina com cereja, mas desce bem que é uma maravilha com amendoim. Amendoim salgadinho, amendoim torradinho, amendoim, amendoim, amendoim com cerveja, cerveja, cerveja sem cereja.

Queria fazer uma homenagem à cerveja aqui no blog mas não me veio nada na cabeça além de homenagear a cerveja na quietude do meu lar, sorvendo de uma (várias) garrafas ali na sacada, deixando que os pensamentos fossem nublando aos poucos, visão embaçando e as idéias fluindo, fluindo, fluindo goela abaixo!!!

Leyla e eu, parceria completa, caipirinha e Cerveja combinam sempe...

... Assim como vinho e cerveja, Leyla e Petter combinação melhor não há!!!