Arquivo para Cannibal Corpse

Pelo Olho do Morto!

Posted in Fanzines, Música, Quadrinhos with tags , , , , , , , on novembro 3, 2011 by canibuk

Essa HQ de Renato Pereira Coelho, publicada originalmente no fanzine “Arghhh” número 18, é baseada numa letra da banda Cannibal Corpse.

Cannibal Corpse

Posted in Música with tags , , , on fevereiro 28, 2011 by canibuk

Hoje acordei nostálgico prá caralho, relembrando das bandas que eu curtia lá por 1988-1995 e botei no player aqui Macabre, Impetigo, Carcass e Cannibal Corpse (em 1988 eu tinha 14 anos, era extremamente radical e não suportava a chatice que era o rock nacional com seus Renatos (Russo) e Cazuzas, queria velocidade, queria peso, queria sangue e o gênero Splatter Death Metal (comecinho do gore grind) que começava a se esboçar no underground do underground parecia perfeito prá um piralho louco como eu).

Cannibal Corpse surgiu em 1988 em Buffalo, NY (conheci eles em 1990 com o primeiro álbum, “Eaten Back to Life”, uma cópia tosca do vinyl em fita K-7 porque na época não sobrava grana prá comprar discos), a banda surgiu do fim de outras duas bandas: Tirant Sin e Beyond Death. Seus 3 primeiros álbuns (o já citado “Eaten Back to Life”, 1990, “Butchered at Birth”, 1991, e “Tomb of the Mutilated”, 1992, são verdadeiros clássicos da música universal (tá, tá, tá… Pro meu gosto cabrón!). Logo em seguida o ator Jim Carrey (que diz ser um grande fã de Death Metal, mas atores vem de uma raça de mentirosos em tempo íntegral) os convidou para uma participação especial no filme “Ace Ventura: Pet Detective” (os membros da banda Malevolent Creation aparecem na platéia como figurantes). Foi nesta época que parei de acompanhar a banda, pois lembro que ver uma de minhas bandas preferidas numa comédia boba de Hollywood colocou um ponto final na paixão que sentia pelo som deles.

Mas mesmo comigo não sendo mais um fã da banda, eles continuaram com o lançamento do álbum “The Bleeding” (1994). Logo na seqüência o vocalista Chris Barnes deixa a banda (para montar o chatinho Six Feet Under). “Vile” (1996) marca a entrada do vocalista George Fisher (nenhum parentesco com o genial Terence Fisher) na banda. Depois disso não acompanhei mais nada da banda, mas quem ficou interessado em curtir o Cannibal Corpse, saiba que eles continuam na ativa. Não sejam tão radicais como eu fui (ou sejam, só não briguem com ninguém).

Discografia (de estúdio):

1990- Eaten Back to Life; 1991- Butchered at Birth; 1992- Tomb of the Mutilated; 1994- The Bleeding; 1996- Vile; 1998- Gallery of Suicide; 1999- Bloodthirst; 2002- Gore Obsessed; 2004- The Wretched Spawn; 2006- Kill; 2009- Evisceration Plague.

Alguns vídeos: