Arquivo para liquid sky

Músicas de Amor Pulsante

Posted in Música with tags , , , , , , , , , , , , on abril 9, 2012 by canibuk

Alguns dias atrás postei aqui links de download para discos da banda Os Legais, de Gurcius Gewdner, que o próprio disponibilizou para seus fãs se deliciarem com as demências sonoras que fizeram a alegria das crianças dos anos 90. Hoje estou disponibilizando 3 discos, de três bandas diferentes, que contam com participação de Gurcius Gewdner em sua formação. Se você odiou a música de Os Legais aqui está uma grande oportunidade de você gostar destas músicas, já que as mesmas em nada tem haver com a imbelicidade de Os legais.

Spindove – “Uma Só Carne” (2005)

Segundo disco do respeitado projeto experimental Spindove.

Com vocais de convidados e especialmente de Gurcius Gewdner (que faz os vocais femininos e masculinos do casal principal simultaneamente), o disco é inteiramente baseado no roteiro e sessões de gravação de Mamilos em Chamas. Muito tem se falado acerca desse filme, “…todo tipo de boato, brigas nos bastidores, conflitos morais, retaliações por parte de grupos straight-edges alcoólatras descontrolados, obsessão espiritual e por aí afora. O próprio conceito do filme tem algo de nefasto que incita e propicia e degeneração da moral.” Nos conta Gurcius.

O disco conta com várias falas do filme como letras, dando uma idéia do que vem pela frente, além de dezenas de homenagens espalhadas pelo álbum que vão de John Waters à Monty Python. “A história tem um potencial que vai muito além da mera pornochanchada: o de uma metáfora para a condição humana, em sua incapacidade de entender os desígnios do sagrado através dos meios de percepção comuns. Guiados por essa visão, concebemos esse disco”, explica J.W.K.

UMA SÓ CARNE já um trabalho cultuado e de um sabor único, nunca antes experimentado em lançamentos desse porte.

Tzodoma Popo – “Tzodoma Popo” (2005)

“Tzodoma Popo é música afrodisíaca, perturbadora e melancólica para se escutar olhando para as vacas que ruminam o pasto mal mastigado, chorei, hó céus, como chorei enquanto escutava esses clássicos da tristeza infantil.” Petter Baiestorf (nota do Canibuk: Essa declaração eu dei na época do lançamento deste maravilhoso disco e Gurcius Gewdner usou como frase de divulgação do disco).

Com Gurcius Gewdner nos vocais, uma dupla de japoneses e membros da formação original de Os Legais: o Tzodoma Popo é completamente oposto aos trabalhos musicais anteriores destes doentes, mas simplesmente um prato cheio pra quem gosta de música doente de tanta qualidade, brotando pelas entranhas e genitálias. São nada menos que 14 canções Afrodisíacas Infanto Juvenis que farão sua sala de estar ferver de erotismo e prazer, transformando as populações das novas gerações, fazendo do mundo um grande berço de bem estar suado. Altamente recomendado aos adoradores de Serge Gainsburg, Liquid Sky (O Filme), Goblin, The Residents, Kaada, SMES e Fabio Frizzi. Tzodoma é romântico, erótico, dançante, maligno, belo, excitante, indigesto, emotivo e amoroso.

Tzodoma Popo foi utilizado como trilha sonora do curta “Porque?… Porque sou Brasileiro!!!” (2004, 15 min.) de Ivan Pohl, que infelizmente continua inédito em DVD.

Gurcius Gewdner & Orchestra Zé Felipe – “Tatuada” (EP, 2011)

O poeta Fabio Turnis.

Outro emocionante EP que volta ao ar para alegria da juventude. São 5 músicas, 3 sucessos do consagrado disco “Universo em Desespero: a cultura irracional” de 2009, o início da parceria de Gurcius com Zé Felipe:

1 – Tatuada (“onde estou eu, abismo da dor”);

2 – Solidão (“eu queria tanto que você desaparecesse, você é doença”)

3 – Derreto Libbidus (“moça, da pele morena, do jeito oleoso”)

e duas músicas inéditas, produzidas especialmente para este lançamento:

4 – Sounds of my beloved death (com o melancólico irmão de Gurcius, Amauri Gewdner, nos vocais [que se apresentou a vivo semana passada na TV, graças ao Pablo Souza] em uma canção inicialmente destinada ao disco ainda inédito “Amauri Convida”).

5 – Pense Menos (uma releitura da música composta e imortalizada por Tim Maia, aqui em uma versão lounge relax).

Com arranjos inesquecíveis de Zé Felipe (Zumbi do Mato, Rogério Skylab) e letras em parceria com um dos maiores poetas dos tempos atuais: Fabio Turnis.

Liquid Sky

Posted in Cinema with tags , , , , , on fevereiro 8, 2011 by canibuk

“Liquid Sky” (1983, 114 min.) de Slava Tsukerman.

Liquid Sky (que na gíria de New York dos anos 80 significava heroína) é um filme de Sci-Fi que traduz perfeitamente o clima/estado de espírito dos novaiorquinos do final dos anos 70/início dos anos 80. No filme acompanhamos uma nave alienígena (de proporções diminutas, contrariando as recentes produções do gênero que tendem à exagerar no tamanho de tudo) chegando ao Planeta Terra e se instalando na cobertura de uma modelo (Anne Carlisle, que também faz o papel de Jimmy) e sua namorada cantora de vanguarda nas horas vagas e traficante em tempo íntegral (Paula E. Sheppard). O alien (uma espécie de célula-molusco) é viciado numa substância que o cérebro produz durante o orgasmo e se assemelha à heroína.

“Liquid Sky” foi produzido em 1982 com orçamento mínimo de 500 mil dólares (500 mil, no bilionário mundo do cinema, é quase nada), virou um cult-movie logo após seu lançamento e, em cidades como New York, Boston e Washington DC, ficou em cartaz (em alguns cinemas) durante mais de 3 anos arrecadando mais de Hum milhão de dólares em cada uma das cidades citadas. “Liquid Sky” é fruto da mente de Slava Tsukerman que antes fazia documentários para TVs da antiga URSS e de Israel. Em 1987, Anne Carlisle, co-autora do roteiro (junto de Tsukerman e sua esposa Nina Kerova), escreveu um romance baseado no filme com o mesmo título. A trilha sonora do filme é fantástica, foi composta por Slava Tsukerman, Clive Smith e Branda Hutchinson usando o Fairlight CMI, o primeiro sampler/sintetizador digital. Robert Field (produtor executivo do filme) e Slava Tsukerman roubaram os direitos da trilha sonora de Smith e Hutchinson que nunca receberam qualquer pagamento de royalties (o único pagamento que receberam foi algo em torno de 5 mil dólares após terem processado a dupla de picaretas Field-Tsukerman). E já que ninguém paga ninguém mesmo, estamos disponibilizando a trilha sonora aqui:

http://rabidhummingbird.blogspot.com/2008/06/liquid-sky-ost.html

No Brasil, “Liquid Sky” foi lançado ainda nos anos 80 em VHS pela extinta Videocast e, agora, em DVD pela Cult Classic.