Arquivo para olinda

Lua de Mel no Nordeste Brasileiro

Posted in Buk & Baiestorf with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 10, 2012 by canibuk

Nos últimos 20 dias estive com Leyla Buk passando uma nova lua de mel em Recife, Olinda e Maceió, nos divertindo com caipirinhas, vinhos, cervejas, cafés, comidas típicas (quem for ao Nordeste precisa experimentar o maravilhoso pirão de queijo, simplesmente genial), sexo, cigarros, comidinhas preparadas por nós (adoramos cozinhar juntos, em breve iremos postar algumas receitas que fizemos nesta lua de mel), filmes undergrounds, músicas bregas lindas, artes em camisetas e mais sexo melequento delicioso!!!

Cheguei em Recife no dia 23 de janeiro e fomos prá casa dos meus sogros (adoráveis!). Logo Leyla e eu já fomos abrindo um vinho e bebericando dele entre amassos e um filme rodando na TV (não lembro qual filme era) e ficamos assim boa parte da semana, só no vinho (ela) e cerveja (eu), sexo e filmes, cafés com cigarro e na cozinha criando/recriando receitinhas de comidas vegetarianas deliciosas. Cozinhar com a Leyla me trás uma paz interior indescritível!!!

No sábado, dia 28 de janeiro, fomos visitar a cidade histórica de Olinda que é um lugar maravilhoso (apesar do sol intenso), com construções lindas, cores vivas vibrantes e suas ruazinhas estreitas com cheiro de artesanato. Olinda é bela, visitá-la é uma pequena viagem no tempo e percorrer as ruazinhas acompanhado da pessoa que você ama é bom demais, faz bem pro coração e prá mente e te rejuvenesce. E ver a Leyla subindo a ladeira que dá acesso ao Alto da Sé, quase sem ar e fazendo pausa para fumar, é algo único, filosofia de vida completamente bukowskiano!!! A única coisa negativa em Olinda é que a paz e tranqüilidade de suas ruazinhas históricas é quebrada pelas caixas de poluição ambulantes, os barulhentos e incômodos automóveis tão cultuados pelos humanos, que na minha opinião deveriam ser proibidos de circular em qualquer local histórico. Olinda histórica é pequena e percorrê-la a pé é essencial para curtir a cidade, além de ser um programa saudável do mais alto nível. Após conhecer Olinda fomos para um restaurante à beira mar onde experimentei um caldinho de feijão divino e saí de lá cambaleando por ter bebido cerveja demais, abraçado em Leyla, igualmente cambaleante, cortesia das inúmeras caipirinhas que ela bebeu.

Nosso domingo acabou sendo para curar a ressaca e cozinhar com a Biba, amiga da família de Leyla, que fez um delicioso caldinho de abóbora, acompanhado de um queijo coalho à milanesa, combinado com um feijão verde que Leyla e eu preparamos. Fechou o domingo de maneira espetacular!!!

Durante a nova semana Leyla e eu retomamos nossos afazeres de lua de mel: Beber vinho, fumar cigarros, fazer sexo tarado, beber cervejas, ver filmes brasileiros e cozinhar (e mais sexo, sexo, sexo!!!). Como o pai de Leyla entrou de férias por estes dias, fomos jantar fora mais vezes. Foi bem interessante experimentar a culinária de Recife (o pirão de queijo é espetacular e o queijo coalho crocante também, engordei alguns quilos). Só não experimentei tudo porque, infelizmente, as opções para os vegetarianos são reduzidas (se eu fosse vegan não teria opção alguma).

Na quinta-feira, dia 02 de fevereiro, encontramos Osvaldo Neto (do ótimo blog Vá e Veja) e ficamos pela orla do bairro de Candeias bebericando cervejinhas. Osvaldo é um cara gente fina prá caralho e foi ótimo conhecê-lo pessoalmente, inclusive foi ele quem linkou meu “Arrombada – Vou Mijar na Porra de Seu Túmulo!!!” para download quando fiz o protesto anti-sopa e em breve irá disponibilizar, também, o média “O Doce Avanço da Faca”.

Na sexta-feira Leyla e eu acordamos extremamente cedo (após uma noite em que declaramos guerra aos pernilongos) e pegamos um busão prá Maceió/AL onde iria acontecer “A Noite dos Malditos” no Sesi local. Prá minha surpresa, quando chegamos, Erivaldo Mattüs me informou que os ingressos para a exibição dos filmes “Zombio” (1999), “O Doce Avanço da Faca” (2010), ambos com direção minha, e “A Noite do Chupacabras” (2011) de Rodrigo Aragão, onde interpreto o vilão Ivan Carvalho, já estavam esgotados desde o dia anterior (163 lugares no cinema já vendidos). Como meus filmes não são muito conhecidos na região Nordeste fiquei extremamente feliz com isso e a recepção do público foi linda: “Zombio” arrancou várias risadas, mas “O Doce Avanço da Faca” levou o público presente ao delírio, com altas gargalhadas, gritos histéricos, aplausos ensandecidos em algumas cenas (na morte do Minuano pelos seios gigantes de Gisele Ferran, Jorge Timm explodindo e a cena final deixaram o público eufórico!). Foi lindo, obrigado Maceió!!! Depois dos filmes rolou um rápido bate-papo comigo e a exibição do já Cult “A Noite do Chupacabras” do genial Rodrigo Aragão, que fez o público ficar completamente absorvido durante suas quase 2 horas de duração. Com o término da sessão passamos por um mercado 24 horas (eram umas 4 da manhã), compramos vinho e pizza, e fomos prá casa do Erivaldo Mattüs ver o sol nascer. Leyla desmaiou de canseira e eu também, logo depois dela. Na casa do Erivaldo está o quadro “Bloody Catrina” que Leyla pintou para ele e que eu conhecia apenas por fotos. Ver o “Bloody Catrina” ao vivo, de pertinho, é uma experiência fantástica, o quadro é maravilhoso, um grande trabalho de meu amor, garota linda e talentosa, por quem fico a cada dia mais apaixonado.

Algo me chamou atenção na viagem de busão entre Recife-Maceió (eu só conhecia o Nordeste viajando de avião): O interior nordestino é verde e produtivo, cheio de vida e cidadezinhas coloridas, bem diferentes do Nordeste seco e sem vida mostrado pelos filmes e/ou canais de TV. Fica a dica, viaje de busão pelo Nordeste para conhecer mais da região, é uma experiência bem interessante e rica.

De volta em Recife, Leyla e eu resolvemos ficar caseiros. Recusamos os convites que os pais dela fizeram para sair e ficamos os próximos dias no nosso ritmo de bebidinhas, comidinhas e sexo gostoso. Queríamos nos aproveitar ao máximo antes da minha volta para o Sul do Brasil, namorar à distância é horrível e no momento de separar bate uma tristeza profunda muito ruim de controlar! Espero que em breve estejamos morando juntos para não ter mais que sofrer com a distância!