Arquivo para ramsay brothers

Purana Mandir

Posted in Cinema with tags , , , , , , , , , , on março 29, 2012 by canibuk

“Purana Mandir” (1984, 145 min.) de Tulsi Ramsay e Shyam Ramsay. Com Aarti Gupta, Mohnish Behl, Pradeep Kumar e Ajay Agarwal.

O filme começa com o cortejo real de Raja Harimansingh, sultão de Bijapur, perto de Kali Pahari (traduzindo: “montanha negra”) onde a filha do sultão, princesa Rupali, se perde perto do covil do adorador do diabo Samri (Ajay Agarwal), que logo se encarrega de matar a princesa. Após ser aprisionado pela guarda do sultão, Samri é levado a julgamento e, antes de ser morto, amaldiçoa Raja Harimansingh e suas futuras gerações. 200 anos depois Suman (Aarti Gupta), descendente do sultão, é uma estudante de faculdade prestes a se casar com Sanjay (Mohnish Behl) e com ele passa a maior parte do tempo se divertindo em piscinas, praias e discotecas. Mas o pai de Suman (interpretado pelo veterano Pradeep Kumar) não aprova o namoro porque Sanjay não vem de uma linhagem real. Assim nosso casal dançante de heróis empreende uma viagem até Kali Pahari com o nobre intuito de quebrar a maldição de Samri e, com isso, Sanjay ser aceito como esposo de Suman.

Clássico do cinema de horror indiano, “Purana Mandir” é uma ótima introdução ao peculiar cinema popular indiano onde, sempre, sensacionais números musicais fazem parte das mais mirabolantes tramas familiares. Na Índia um bom casamento é a principal preocupação das família e essa trama, menina rica casando com rapaz de casta inferior, é explorada em praticamente todas as produções de Bollywood. Com “Purana Mandir” os Ramsay Brothers, como são conhecidos, definiram os elementos necessários para o cinema de horror da indústria local fazer sucesso popular. Tudo neste filme é over: Os efeitos sonoros, os efeitos especiais, as maquiagens, a duração, os números musicais, figurinos, até as interpretações canastronas. Tudo extremamente exagerado com aquele delicioso sabor Kitsch, ou seja, são gargalhadas garantidas durante seus longos 145 minutos de duração. No cinema indiano tudo é grande!

Tulsi Ramsay e seu irmão Shyam são filhos do lendário FU Ramsay (seus outros irmãos são Kumar, Keshu e Kiran) e, em parceria, dirigiram vários filmes de horror como “Tahkhana” (1986), “Veerana” (1988) e “Bandh Darwaza” (1990) que se tornaram cult movies (principalmente no mercado de vídeo americano e europeu). Os Ramsay Brothers geralmente filmam com baixo orçamento, o que explica os exageros cômicos em suas produções.

Pradeep Kumar se tornou conhecido do público indiano quando ganhou um importante papel no filme “Anand Math” (1952) de Hemen Gupta, uma produção patriótica hindi sobre a revolução Sannyasi que aconteceu no leste da ìndia no final do século 18. Kumar faleceu em 2001. Aarti Gupta hoje não trabalha mais na indústria cinematográfica indiana, seu filme mais popular é “Purana Mandir” (ela trabalhou em vários filmes dos Ramsay) e ao se casar desistiu da carreira de atriz, revelando uma terrível faceta da sociedade machista indiana onde o marido controla as escolhas de esposa.

“Purana Mandir” foi lançado em DVD – uma versão double feature com “Bandh Darwaza” – nos USA pelas mãos da distribuidora Mondo Macabro em uma edição dupla que vale a pena adquirir. O filme também está completo no youtube, coloque carregar e prepare-se para dançar requebrando com este delirante exemplar do horror dançante indiano.

Encarnación del Tinhoso

Posted in Nossa Arte, Vídeo Independente with tags , , , , , , on outubro 7, 2010 by canibuk

Elio Copini em laboratório para encarnar o Tinhoso.

No carnaval de 2009 Coffin Souza, Elio Copini e eu estávamos de barriga pro ar bebendo cervejas, naquele ócio de uma data horrível (a gente não costuma cair no samba porque é uma comemoração que não tem nada haver com a gente) quando me bateu idéia de criar um roteiro na hora, usar restos de maquiagens que a gente tinha das filmagens do “Vadias do Sexo Sangrento” (2008) e pirar numa situação inspirada no “Evil Dead 2”.

Coffin Souza organizando as maquiagens gores.

Rabisquei umas idéias no papel, Souza organizou uns efeitos, adaptamos a iluminação do jeito que dava e colocamos o Copini prá se foder com as maquiagens e no tempo de algumas boas 4 horas de trampo divertido a gente tinha o material prá editar um curtinha prá colocar no youtube. E voltamos para as cervejas.

Eu escrevendo o curta com minha caneta atômica.

Menos de um mês depois fui prá casa do Gurcius Gewdner onde editamos o curta em poucas horas e tá aí o resultado final. Uma mistura de “Evil Dead 2” com os filmes da dupla Tulsi Ramsay e Shyam Ramsay ( “Purana Mandir”, de 1984, foi uma grande influência), com Chaves, Pica-Pau, Pernalonga e Patolino + cinema gore sem noção em geral. E o título do curtinha é uma homenagem pro título “Encarnação do Demônio” do Mojica.

Não sei se ficou bom, mas foi divertido acabar com o ócio daquela tarde fazendo este filminho totalmente despretencioso e bêbado!!!

Copini, pacientemente, esperando pelo resto das maquiagens e melecas.

Blog vai ficar alguns dias sem novidades, Leyla e eu estamos numas correrias, bebedeiras e trampos (não necessariamente nesta ordem, lógico!). Semana que vem estamos de volta!!!