Adiós Amigo

Eram 03:25 da madrugada quando fui despertado pelo telefone. Atendi e uma voz desesperada do outro lado da linha dizia: “Nosso amigo morreu! Nosso amigo morreu!!!”. Era Simone, esposa do Jorjão – como Jorge Timm era conhecido por seus amigos pessoais – me avisando que um dos meus melhores amigos havia acabado de falecer. Fiquei em estado de choque sem saber o que fazer, de mãos amarradas, porque estava em Porto Alegre/RS (distante 380 km de Canibal City) na casa do Daniel Villaverde para pegar avião na manhã seguinte para me encontrar com a Leyla Buk no Nordeste. Pela primeira vez na minha vida encontrei-me dividido entre alegria extrema (porque iria me encontrar com a Leyla, minha cara-metade em tudo) e tristeza profunda (pela morte de meu velho companheiro de produções e festas). Sem conseguir dormir mandei mensagem para Leyla avisando-a que Timm havia falecido, mal como estava naquele momento eu precisava de algumas palavras de conforto. Leyla me ajudou a enfrentar a madrugada horrível que se seguiu com nó na garganta e lágrimas nos olhos.

Jorjão correndo contra minha filmadora durante as filmagens de “O Monstro Legume do Espaço” (1995).

Jorge Timm, além de ator em meus filmes, foi também meu primo. Em 1995 desempenhou um pequeno papel no longa-metragem “O Monstro Legume do Espaço” e nunca mais deixou de colaborar com a Canibal Filmes. Em 1996 interpretou “Elvis”, um cozinheiro canibal, no ultra-gore “Eles Comem Sua Carne”; um pastor evangélico picareta no ação-gore “Blerghhh!!!” e um caçador pervertido no “Caquinha Superstar A Go-Go”. Tomando gosto pela produção independente, foi produtor associado em filmes que produzi em parceria com Coffin Souza pela Canibal-Mabuse Produções, como “Chapado” (1997) que co-dirigi em parceria com Coffin Souza e Marcos Braun; “Bondage 2: Amarre-me Gordo Escroto!!!” (1997); “Super Chacrinha e seu Amigo Ultra-Shit em Crise Vs. Deus e o Diabo na Terra de Glauber Rocha” (1997); “Gore Gore Gays” (1998) e “Sacanagens Bestiais dos Arcanjos Fálicos” (1998). Ainda em 1998 ele apareceu com o argumento do infame curta “Boi Bom” e o dirigi num banho de sangue ultra-violento realista com uma diminuta equipe-técnica que envolvia apenas, além de mim e Timm, Carli Bortolanza e meu pai, também já falecido, Claudio Baiestorf. Em 1999 fez uma participação especial em “Zombio“, primeiro filme de zumbis brasileiros que hoje é somente lembrado por essa participação de Jorjão.

Nesta época Ivan Cardoso Planejava filmar o curta-metragem “O Estrangulador de Loiras” com Timm no papel título mas não conseguiu levantar o dinheiro necessário para a produção e, infelizmente, o filme nunca saiu do papel. Um verdadeiro imã visual, Jorjão chamou atenção de vários diretores brasileiros, como Carlos Reichenbach, mas nunca foi chamado para nenhum filme profissional.

Jorge Timm e Ivan Cardoso no Festival de Gramado em 1997.

No novo milênio Jorjão estrelou meu longa “Raiva” e recebeu muitos elogios por seu papel de ladrão de revistas raras que dança um tango macabro com uma mulher misteriosa interpretada por Onésia Liotto. Depois deste filme Jorge Timm foi morar no Norte do Brasil onde ficou até 2008. Neste período produziu meus curtas “Fragmentos de uma Vida” (2002) e “Primitivismo Kanibaru na Lama da Tecnologia Catódica” (2003) e fez uma participação especial em “O Monstro Legume do Espaço 2” (2006). De volta ao Sul, retomou o trabalho de ator aparecendo em vários média-metragens que realizei com ajuda de amigos, como “Vadias do Sexo Sangrento” (2008) no papel de um pescador tarado; “Ninguém Deve Morrer” (2009), interpretando o zoófilo coronel Bajon em homenagem ao diretor Juan Bajon; e “O Doce Avanço da Faca” (2010), novamente no papel de um pastor evangélico. Em 2011 filmei o curta-metragem “Pampa’Migo” (ainda não editado porque não consegui filmar todas as seqüências do roteiro e não fiquei animado em finalizar), no papel de um bodegueiro que se encontra no meio do fogo cruzado entre pistoleiros. Essas filmagens foram registradas pelo videomaker Felipe Guerra e deverão virar um documentário sobre como não se deve filmar. Sua última participação como ator foi no “Lua Perversa – Segunda Temporada” (2012) de André Bozzetto Jr., em fase de edição.

Trabalhar com Jorge Timm sempre era divertido. Era um piadista por natureza, Jorjão nunca deixava um set ficar com aquele clima prá baixo, sua alegria de viver contagiava a todos. Além dos filmes, foi parceiro meu e de Coffin Souza para festas, bebedeiras, reuniões gastronômicas e na banda Os Ilegais (banda cover de Os Legais que só tocava músicas próprias). Uma performance de Os Ilegais poderá ser vista no documentário sobre Os Legais que o diretor Christian Caselli está produzindo, já que com a morte de Timm não retomarei este projeto musical por nada neste mundo. Caselli também é o responsável pela série “Trash” do Canal Brasil (que vai estreiar em 2013) e me confidenciou que o terceiro capítulo da série será dedicada para a dupla Jorge Timm – Carlos Reichenbach (Carlão faleceu dia 14 de junho e Jorjão dia 18 de junho).

Fazendo close em Jorjão durante filmagens de “Raiva” em cena com Elio Copini.

Agora que Jorjão faleceu percebo que ele foi muito mal aproveitado pelos cineastas independentes brasileiros, tendo aparecido quase que exclusivamente apenas nas produções da Canibal Filmes, um verdadeiro desperdício de tão singular amigo. Nos anos 2000 Jorjão bolou um roteiro cômico-caipira chamado “A Bôdega” que era prá eu roteirizar e dirigir, mas que fui enrolando e deixando sempre pro ano seguinte e nunca filmamos. Se arrependimento matasse…

Jorjão, saudades da tua risada, da tua alegria, das tuas piadas politicamente incorretas, do teu deboche otimista. Os fãs de filmes bagaceiros queriam muito mais filmes com tua gargalhada eletrizante. Tu já está fazendo falta, meu amigo!

Petter Baiestorf.

Imagens de Jorjão:

“O Monstro Legume do Espaço” (1995).

“Eles Comem Sua Carne” (1996).

“Caquinha Superstar A Go-Go” (1996).

“Blerghhh!!!” (1996).

“Chapado” (1997).

“Raiva” (2001).

“O Monstro Legume do Espaço 2” (2006).

“Vadias do Sexo Sangrento” (2008).

“Ninguém Deve Morrer” (2009).

“O Doce Avanço da Faca” (2010).

“Pampa’Migo” (2011).

Jorjão entre a zumbizada de “Lua Perversa” (2012).

15 Respostas to “Adiós Amigo”

  1. Fantástico post…eu só o conhecia por meio das suas produções, mas os personagens já falavam por si e seja como for, já foi eternizado por aqui e possivelmente está detonando o goró do “outro lado”…

  2. QUE CARA DOIDO! QUE ATOR CARISMÁTICO! DIVERTIDO E DEBOCHADO! É DISSO QUE PRECISAMOS!!!
    Foi o que pensei quando vi Jorge Timm pela primeira vez, e dai pra frente nunca perdi minha admiração pelo gordinho barbudo de risada engraçada!
    Vou sentir falta dele nos filmes!

  3. infelizmente nao conheci o figura! mas pelas historias que ouvi, iria ser memoravel!

  4. Acho que cada um que faz filme no Brasil e era fã do Timm tinha um projeto dos sonhos imaginado com ele, sempre pulando pro ano seguinte…
    😦

  5. Obrigado pelo post, o Jorjão merece…eu tinha separado um bom material para fazer uma homenagem, mas não consegui. Eu sabia que tu ia fazer.Saudades grande amigo…

  6. Concordo com o Gurcios: todo mundo que trabalha com produções underground já deve ter sentido vontade de filmar com o Timm. Por uma triste ironia, eu só realizei esse antigo desejo um mês antes de ele falecer. lembro-me de dizer várias vezes para o Petter que determinado papel havia sido escrido propositalmente para o Timm e que “não teria nenhuma graça se outro ator o interpretasse”. O cinema independente nacional fica bem mais chato sem essa grande e carismatica figura. Uma pena.

  7. Inegável talento e carisma.
    Gostaria muito de ter rtido a honra de trabalhar com ele.
    Infelizmente, as coisas não sãop como gostaríamos.
    Enfin, segue a vida.

  8. Bela homenagem, Petter. Foi uma grande perda. Grande cara o Timm.

  9. Bortolanza Says:

    Tive que ler em duas etapas. O amigo e padrinho Jorge faz muita
    falta.

  10. […] Malpagos de Rio Claro/SP. Este novo número, uma homenagem ao diretor Carlos Reichenbach e ao ator Jorge Timm, abre com um texto humorístico escrito por mim e intitulado “Como Viajar de Graça Fazendo […]

  11. Cara.. .vc tem q colocar os filmes de vocês no youtube pra divulgar e não deixar que ele seja esquecido! Parabéns pela homenagem, ele deixou muitas saudades!

    • Opa Erich,
      alguns dos nossos filmes estão no youtube, mas como a maioria dos nossos filmes são sexploitations ou gores, youtube censura e deleta, então não rola colocar por conta desta censura!
      Mas nossos filmes são vendidos em DVD, para pedir um catálogo mande e-mail para baiestorf@yahoo.com.br

      Jorjão não será esquecido! Estou pré-produzindo um novo filme para lançar em 2013 e, mesmo após falecimento, Jorge Timm estará no filme, são as maravilhas da edição resgatando os amigos falecidos para novas aventuras!
      Petter Baiestorf.

  12. […] a mesma equipe de “Arrombada” (que já estava afinada) acrescida de Lane ABC e Jorge Timm (que não estava no elenco do filme anterior por estar em Tocantins). Com um roteiro melhor em […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: